Amigos de Adriana Villela

24/11/2011

Manifestação Familiar Pública em Defesa de Adriana – da Família Barberino Mendes, 18/11/2011

Filed under: Defesa,Depoimentos,Manifesto,Sobre a família — by amigosdeadrianavillela @ 20:25

2011-11-18 Manifestação familiar – documento editado para publicação (1)

Documento lido por Marcus Barberino Mendes, sobrinho de Maria Carvalho Mendes Villela e primo de Adriana, em 18/11/2011, nas Audiências de Instrução do processo, em que atua como Testemunha de Defesa, em nome de toda a família de Barberino Mendes, que, junto com a família Villela, têm sofrido com as acusações infundadas contra Adriana Villela e a falta de clareza no esclarecimento do que de fato aconteceu com nossos saudosos parentes e amiga:

Manifestação familiar pública em defesa de Adriana Villela

A família de Maria Carvalho Mendes Villela vem a público declarar seu apoio, solidariedade e confiança absoluta em Adriana Villela e na sua total inocência em relação à tragédia que vitimou seus pais, José Guilherme Villela, Maria Carvalho Mendes Villela e a empregada doméstica, Francisca Nascimento da Silva.

Repudiamos, veementemente, qualquer acusação de envolvimeto de Adriana com esses crimes bárbaros. Adriana é uma pessoa íntegra, detentora de princípios morais inquestionáveis, filha amorosa e com excelente relacionamento com toda a sua família. A morte dessas pessoas tão amadas por todos traz, ao lado do profundo sofrimento, o desejo de que seja feita justiça plena e o devido esclarecimento da verdade; não a construção de acusação infundada contra inocentes que, com uma falsa solução, tenta atender a uma pressão da sociedade, em detrimento do interesse público pelo real esclarecimento do caso.

A temerária atuação dos responsáveis pelas investigações deste crime afronta o estado de direito, fere os princípios da cidadania, da coexistência pacífica e da relação interpessoal, em que o amor prevaleça como valor maior em nossas vidas.

Reiteramos a nossa crença nas instituições brasileiras e esperamos que as autoridades à frente do feito persigam a verdade real dos fatos, atuando de forma imparcial e justa, não se olvidando que a verdadeira justiça a Maria Carvalho Mendes Villela, José Guilherme Villela e Francisca Nascimento da Silva pressupõe que os verdadeiros culpados sejam, sob o rigor da lei, efetivamente punidos.

Salvador/Brasília, 1º de novembro de 2011

Augusto Villela – Irmão de Adriana Villela

Carolina Villela Perche – Filha de Adriana Villela

João Luiz Barberino Mendes – Irmão de Maria Carvalho Mendes Villela

Célia Barberino Mendes Senna – Irmã de Maria Carvalho Mendes Villela

Mirian Mendes Mattos – Irmã de Maria Carvalho Mendes Villela

Valdemar Barberino Lago – Tio de Maria Carvalho Mendes Villela

Odorico Barberino Lago – Tio de Maria Carvalho Mendes Villela

Ricardo José Menezes Barberino Mendes – Primo de Adriana Villela

Kristian Menezes Barberino Mendes – Primo de Adriana Villela

Kristine Menezes Barberino Mendes – Prima de Adriana Villela

Max Mendes Mattos – Primo de Adriana Villela

Mônica Mendes Mattos – Prima de Adriana Villela

Tatiana Mendes Senna – Prima de Adriana Villela

Vladimir Mendes Senna – Primo de Adriana Villela

Luciana Mendes Senna – Prima de Adriana Villela

Regina Vera Menezes Lago – Prima de Adriana Villela

Marluce Cerqueira Carvalho – Prima de Adriana Villela

Márcia Mendes Mattos – Prima de Adriana Villela

Marcus Menezes Barberino Mendes – Primo de Adriana Villela

Sérgio Carvalho Mesquita – Primo de Adriana Villela

Marinaldo Carvalho – Primo de Adriana Villela

Eduardo Mesquita – Primo de Adriana Villela

Marcos Carvalho – Primo de Adriana Villela

19/11/2011

A VERDADE SURGINDO… “qual o limite para se buscar a verdade?”

Filed under: Depoimentos,Notícias,Para Refletir — by amigosdeadrianavillela @ 5:30

AUDIÊNCIAS DE INSTRUÇÃO, em 17/11/2011

 Da Redação – observatoriodedefesa.com.br

“até que limite iremos para buscar a verdade?”

Aos poucos a verdade começa a surgir. Em mais uma audiência hoje pela manhã noTribunal do Júri do Distrito Federal sobre o caso da 113 sul, um advogado de Montalvânia, Fabrízio Falcão Dornelas, depois de se comprometer a dizer a verdade, declarou que foi chamado na sua residência, por volta da sete da noite, pelo delegado da cidade no dia da prisão de um dos assassinos do casal Vilella e de Francisca, para ir até a delegacia, pois lá se encontrava preso Paulo… mais conhecido por “Paulinho”, de quem Fabrízio era advogado do réu em outro processo.

Lá chegando Fabrízio foi apresentado à delegada Mabel da Corvida, que disse a ele que o Paulo não queria falar com ninguém. Mabel então pediu a ele, que “convencesse o Paulo a confessar crime de mando e não de latrocínio , pois a pena seria menor, e que falasse a ele das vantagens que essa confissão iria lhe trazer”. Fabrízio foi bem claro na sua afirmação, o que deixou indiginado o promotor Maurício Miranda que imediatamente tentou desqualificar o testemunho da defesa. Dizendo que ele estava trazendo questões da privacidade do mesmo com o então seu cliente, Paulinho. Falando alto e no mesmo momento que a testemunha, Miranda se descontrolu. O advogado de Adriana tomou a palavra e em alto e bom som, afirmou que o advogado trazia ali um fato da “maior gravidade”. Segundo ele, essa afirmação deixava claro a atitude da então delegada da Corvida..

Depois de muito bate boca, o defensor público dos outros réus, afirmou que se tratava de apurar e esclarecer os procedimentos adotados pela doutora Mabel na condução do caso, e não de saber detalhes entre o acusado e o seu advogado.

Miranda, quase fora de si, insistindo em que aquela grave denúncia não deveria entrar nos autos, acabou declarando uma frase  carregada de significados “ até  que limite iremos para buscar a verdade”?  O curioso é que sendo um homem da lei e da Justiça deveria defender que a busca da verdade  e o esclarecimentos dos fatos não deve ter limites, pelo contrário, a verdade traz em si as prerrogativas de não se contentar em ser limitada ou violentada para  o bem da Justiça e de toda a sociedade. Logo em seguida a audiência foi suspensa para um intervalo de 50 minutos.

14/09/2011

Danos irreparáveis – Alexandra Reschke

Filed under: Depoimentos,Para Refletir — by amigosdeadrianavillela @ 23:07

Algumas categorias de pecados e danos irreparáveis, até mesmo Jesus considerava imperdoáveis, porque impossíveis de serem punidos pela irreversibilidade do mal cometido.
Assim considero a perversidade com que minha amiga, inocente e dolorosamente privada da companhia de seus pais e empregada, vem sendo caluniada de forma obsessiva e maligna.
O dano causado a sua vida é irreversível, em que pese acreditarmos na justiça que reconhecerá sua inocência.
Mesmo assim, oramos para que pela Graça Divina haja arrependimento e libertação da alma daqueles que engendraram essa falsa acusação – que percebam a dignidade de reconhecerem o erro e o dano, para assim se reencontrarem com sua própria humanidade.
Assino, Alexandra Reschke

06/09/2011

Dos delitos e das penas – Cesare Beccaria, 1764

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 14:00

“Cada cidadão deve ter a convicção de poder fazer tudo o que não contraria as leis, sem temer outro inconveniente além daquele que pode resultar da ação mesma; é esse o dogma político em que os povos deveriam acreditar e que os supremos magistrados deveriam apregoar com a incorruptível proteção das leis; dogma sagrado, sem o qual não pode haver uma sociedade legítima, justa recompensa pelo sacrifício, por parte dos homens, daquela ação universal sobre todas as coisas (…). É isso que forma as almas livres e vigorosas e as mentes esclarecedoras; que torna os homens virtuosos, mas daquela virtude que sabe resistir ao temor, e não do gênero de prudência submissa, digna apenas de quem pode tolerar uma existência precária e incerta. Os atentados contra a segurança e a liberdade dos cidadãos constituem, pois, um dos maiores delitos, e nessa classe se incluem não apenas os assassínios e os furtos praticados por plebeus, mas também os dos grandes e dos magistrados, cuja influência age a maior distância e com maior vigor, destuindo nos súditos as idéias de justiça e de dever, substituindo-as pela do direito do mais forte, igualmente perigoso para quem o exerce e para quem o sofre.”

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas, 3a Ed., São Paulo: Martins Fontes, 2005, p56.

31/08/2011

Apoio total – Marcia Mattos, 31/08/2011

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 3:26
Prima Dri:
Continuo revoltada com tudo que está acontecendo contigo.
Nunca imaginei que essa tragédia com meus tios queridos fosse durar tanto.
Pensei realmente que tudo se resolvesse logo, mas esqueci que estou no Brasil (vergonhoso e cheio de interesses excusos).
Continuo orando por ti e para que tudo se resolva…
Gr bj da prima,
Márcia.

30/08/2011

Luciana Castello Branco — 30/08/2011

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 4:49

Oi Adriana, sou a Luciana Castello Branco, filha da Elvia que tanto gostava do Zé Guilherme e Maria. Me lembro sempre de você pois na minha sala tem uma peça de vidro, tipo uma folha de parreira feita por você e que teus pais me deram de presente. Torço por você e espero que tudo se resolva em breve,
bjs, Luciana


28/08/2011

Oração de São Francisco – Priscilla, 28/08/2011

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 3:40

Na ausência de palavras que expresse ou simbolize tamanha dor e injustiça, faço das palavras de São Francisco um recurso como busca de alento. Com amor. Pri

15/08/2011

Acalento Secreto – oração celta

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 19:00

Oração Celta

Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente ódio.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.
Que a música seja tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia da tua alma eterna em cada beijo.

Que os teus olhos sejam dois sóis olhando a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa, que celebre o canto da amizade profunda que liga as almas afins.
Que em teus momentos de solidão e cansaço, esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente, para que tu percebas a ternura invisível, tocando o centro do teu ser eterno.
Que um suave olhar te acompanhe, na terra ou no espaço, e por onde quer que o imanente invisível leve o teu viver.
Que o teu coração sinta a presença secreta do inefável!
Que os teus pensamentos e os teus amores, o teu viver e a tua passagem pela vida, sejam sempre abençoados por aquele amor que ama sem nome.
Aquele amor que não se explica, só se sente.
Que esse amor seja o teu acalento secreto, viajando eternamente no centro do teu ser.
Que este amor transforme os teus dramas em luz, a tua tristeza em celebração e os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.
Que jamais, em tempo algum, tu esqueças da Presença que está em ti e em todos os seres.
Que o teu viver seja pleno de Paz e Luz!

Fonte: Jornal Milénio [http://jornalmilenio.com/online/]

12/08/2011

Debaixo do pé de laranjeira

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 19:00

“Saudade? Saudade é vontade de outra vez”, bem dizia a menina na ladeira, no samba de um João Só. FELIZ ANIVERSÁRIO, MEU PAI!

Não fosse o atropelamento – beira de estrada -, junto de nós, querido pai, completaria agora pelo menos setenta e cinco de seus bem vividos anos felizes. Juntos talvez, mais um jantar?

É bem melhor a gente não falar de coisa mais triste. Segue esse silêncio expressivo de um tudo: de todos que nos lembramos com carinho de você no dia de hoje. Faz tanto tempo…

E aí, onde estas agora, aí se faz aniversário, pai? Por aqui você ainda faz. Sempre. Todo ano. Cada um de vocês cheios de luz dentro do peito: sorriso franco, largo, essa saudade…

Nosso carinho, a gratidão sem fronteiras, eu coloco numa prece que chegue a ti… Feito vento, feito fase… feito estrela matutina… feito um pé de laranjeira… essa vontade de aurora…

"Eu andava de bicicleta pelas ruas de Brasília"

“Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar? que tudo era para sempre, sem saber, que o para sempre, sempre acaba? Mas nada vai conseguir mudar o que ficou. Quando penso em alguém só penso em você e aí então estamos bem. Mesmo com tantos motivos para deixar tudo como está. Nem desistir nem tentar, agora tanto faz… estamos indo de volta para casa”

Com amor e saudade sem idade…

Nanina

Eu te desejo, de Flavia Wenceslau – YouTube

Filed under: Depoimentos — by amigosdeadrianavillela @ 7:15

Eu te Desejo – Flavia Wenceslau‏ – YouTube

http://www.youtube.com/watch?v=OqXyi73Bi6c4 min – 16 mar. 2010 – Vídeo enviado por blancaluzdelsol
Desejo – Flávia Wenceslau Composição: Flávia Wenceslau Eu te desejovida, longa vida Te desejo a sorte de tudo que é bom De toda 
“Eu te desejo vida, longa vida Te desejo a sorte de tudo que é bom De toda alegria ter a companhia Colorindo a estrada em seu mais belo tom Eu te desejo a chuva na varanda Molhando a roseira pra desabrochar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar Eu te desejo a paz de uma andorinha No vôo perfeito contemplando o mar E que a fé movedora de qualquer montanha Te renove sempre, te faça sonhar Mas se vier as horas de melancolia Que a lua tão meiga venha te afagar E a mais doce estrela seja tua guia Como mãe singela a te orientar Eu te desejo mais que mil amigos A poesia que todo poeta esperou Coração de menino cheio de esperança Voz de pai amigo e olhar de avô Coração de menino cheio de esperança Voz de pai amigo e olhar de avô Eu te desejo vida, longa vida Te desejo a sorte de tudo que é bom De toda alegria ter a companhia Colorindo a estrada em seu mais belo tom Eu te desejo a chuva na varanda Molhando a roseira pra desabrochar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar Eu te desejo a paz de uma andorinha No vôo perfeito contemplando o mar E que a fé movedora de qualquer montanha Te renove sempre, te faça sonhar Mas se vier as horas de melancolia Que a lua tão meiga venha te afagar E que a mais doce estrela seja tua guia Como mãe singela a te orientar Eu te desejo muito mais que mil amigos A poesia que todo poeta esperou Coração de menino cheio de esperança Voz de pai amigo e olhar de avô Eu te desejo a chuva na varanda Molhando a roseira pra desabrochar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar E dias de sol pra fazer os teus planos Nas coisas mais simples que se imaginar”… (flavia wenceslau, Eu te desejo)
Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.